segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

Reforma da Central de Agricultura Familiar começa no dia 15 Fevereiro de 2016




As obras de reforma e recuperação da Central de Comercialização da Agricultura Familiar em Natal começam na próxima segunda-feira (15). A informação foi confirmada pelo diretor-presidente da CLN Locações e Serviços Ltda, Washington Nelo, ao secretário de Agricultura, Pecuária e Pesca Haroldo Abuana, na sexta-feira (5). Vencedora da licitação elaborada pela Sape em parceria com o RN Sustentável, a construtora assinou o contrato esta semana e tem 90 dias para entregar a Central estruturalmente recuperada.
A primeira etapa da obra deve começar com a limpeza do prédio e retirada do entulho que se acumulou ao longo do tempo. A reparação da instalação elétrica e hidráulica vem em seguida, para depois se reconstituir a cobertura, recolocar os vidros e fazer a pintura do edifício. Toda a reforma e recuperação da estrutura da Central está orçada em pouco mais de R$ 616 mil. Outras licitações para aquisição de móveis, utensílios e equipamentos estão sendo realizadas pela Emater/RN.
“Damos um passo importante para devolver a Central aos agricultores familiares, que poderão comercializar seus produtos sem a presença dos atravessadores, agregando ainda mais valor àquilo que produzem”, destaca o secretário Haroldo Abuana. A estimativa é que o prédio esteja pronto para uso até o fim do primeiro semestre. Com isso, o Governo do Estado acaba com uma espera de seis anos dos agricultores.
Fruto de uma parceria do Executivo estadual com o Ministério do Desenvolvimento Agrário, a Central foi inaugurada em 2010 sem estar pronta para uso e nunca chegou de fato a funcionar. Em 2015, o Governo do Estado por meio da Sape concluiu a construção de uma caixa d'água, sistema que faltava para que o equipamento conseguisse autorização do Corpo de Bombeiros para operar. No entanto, com o desgaste e a depredação proporcionada pelos vândalos ao longo dos últimos anos, será necessário reconstruir parte da estrutura, reformar e instalar novamente fiação elétrica e equipamentos hidráulicos.
De acordo com um estudo de viabilidade econômica elaborado pelo RN Sustentável, a Central de Comercialização irá beneficiar mais de 1.200 agricultores, que terão 35 boxes para vender seus produtos. A estimativa é que, quando estiver em pleno funcionamento, a Central comercialize uma média de R$ 313 mil por mês, com a venda de 170 toneladas de itens. Ocupando uma área de cinco mil metros quadrados ao lado da Ceasa/RN, o equipamento possui área construída de 2,7 mil metros quadrados e 78 vagas de estacionamento.
Fonte: Assecom Sape/RN