segunda-feira, 24 de outubro de 2016

Polo e-Tec abre inscrições para 200 vagas em cursos técnicos em Apodi


O E-Tec/EAJ/UFRN publicou edital com dois mil novecentos e quarenta vagas para os cursos técnicos para entrada no segundo semestre de 2016. 

As inscrições são gratuitas e deverão ser realizadas de 18 à 29 de outubro de 2016, mediante preenchimento da Ficha de Inscrição e entrega dos documentos relacionados no edital, nos polos do E-Tec/EAJ localizados nos municípios de Assu, Apodi, Areia Branca, Caicó, Ceará-Mirim, Macaíba, Monte Alegre, Natal, São Paulo do Potengi, Touros e Vera Cruz. 

O Processo Seletivo é para cadastro de reservas dos cursos ofertados na modalidade de Educação a Distância, com encontros presenciais. As vagas estão distribuídas entre os cursos técnicos em Agroindústria, Agropecuária, Apicultura, Aquicultura, Cooperativismo, Comércio Exterior, Manutenção e Suporte em Informática, Multimeios Didáticos, Alimentação Escolar e Secretaria Escolar e cursos de Idiomas (Inglês e Espanhol). 

As vagas serão preenchidas de acordo com a ordem de inscrição e a divulgação da homologação do resultado está prevista para o dia 7 de novembro. Para se inscrever o candidato deverá ter concluído ou está concluindo o Ensino Médio. 

No polo do programa em Apodi estão sendo ofertadas 200 vagas nos seguintes cursos técnicos: 

1. Curso Técnico em Cooperativismo - 40 vagas 
2. Curso Técnico em Agropecuária 40 vagas 
3. Curso FIC - Inglês - Módulo I 30 vagas 
4. Curso FIC - Espanhol - Módulo I 30 vagas 
5. Curso Técnico em Apicultura 30 vagas 
6. Curso Técnico em Agroindústria 30 vagas 

As inscrições podem ser realizadas das 08h as 12h na sede do polo, localizada na Estação Digital Espaço Virtual (Sede da Associação do Córrego)

Confira o edital completo e todas as informações aqui

O Polo eTec Apodi funciona na parceria da Universidade Federal do Rio Grande do Norte através da Escola Agrícola de Jundiai e a Cooperativa Potiguar de Apicultura e Desenvolvimento Rural Sustentável - COOPAPI.

terça-feira, 30 de agosto de 2016

Budega Terra Firme da COOPAPI participa do IV Intercâmbio entre Pontos Fixos da Rede Brasileira de Comercialização Solidária em Serrinha - BA.

Nos dias 19 e 20 de agosto, aconteceu na cidade de Serrinha (BA) o IV Intercâmbio entre Pontos Fixos da Rede Brasileira de Comercialização Solidária. O projeto da Rede ComSol, executado pelo Instituto Marista de Solidariedade (IMS) é realizado por todo o país com o objetivo de trocar experiências e conhecimentos entre representantes de empreendimentos que fazem parte da Economia Solidária, debatendo os desafios enfrentados por cada um e ampliando a integração em rede.
O evento contou com participantes de 10 estados, cerca de 20 pessoas representando lojas e feiras da agricultura familiar. O local escolhido para o intercâmbio foi o Armazém da Agricultura Familiar e Economia Solidária, que faz parte da gestão do Arco Sertão Central, um ponto fixo que serve de modelo para os outros empreendimentos, devido a sua organização no acesso aos mercados institucionais e suas diversas estratégias de comercialização. O Armazém é uma iniciativa da organização dos Empreendimentos Econômicos Solidários (EES) e da agricultura familiar, que articulados em rede, visam viabilizar a comercialização dos produtos locais.
O Superintendente de Economia Solidária do Governo da Bahia, Milton Barbosa, esteve presente na abertura do intercâmbio e dialogou com o grupo sobre como foi a construção das políticas públicas para que a economia solidária crescesse no Estado. “Começamos a luta em 2007, a partir da Secretaria Nacional de Economia Solidária (Senaes), com o objetivo de fazer desse modelo econômico um fator de desenvolvimento dentro do território baiano”, afirmou Barbosa.  O superintendente ainda disse que é imprescindível o apoio a produção de pequenos proprietários familiares e que está trabalhando para levar a economia solidária aonde ainda não existe. “Nossas principais ações são as criações de políticas públicas para o eixo, programas de crédito, assistência técnica e lançamentos de editais – em especial para empreendimentos para mulheres e descendentes de africanos”, completou.
A assessora do Arco Sertão Central, Gisleide Oliveira, apresentou o local – explicando como funciona, sua organização, conquistas e produções. Gisleide é uma das principais articuladoras de EES e afirmou que possui um sentimento de luta e conquista. “O Arco Sertão articula mais de 67 empreendimentos, sendo cooperativas e associações, e isso é a realização de um modelo que ainda será implantado em outros territórios”, declarou.
Outra presença importante no evento foi do Governador da Bahia, Rui Costa. Ele esteve no local para inaugurar o Centro Público de Economia Solidária do Armazém Arco Sertão Central. O armazém é um dos 186 empreendimentos assessorados pelo Projeto Rede ComSol, do Instituto Marista de Solidariedade (IMS).
O governador discursou para a equipe do Arco Sertão sobre a importância do fortalecimento da comercialização dos produtos produzidos pelos grupos que fazem parte da Economia Solidária. Costa ressaltou o mérito de todos que se somam ao poder público para montar uma rede de apoio e solidariedade econômica. “Respeito a relevância das entidades de apoio e fomento e das cooperativas que se esforçam para apoiar a agricultura, principalmente a familiar, onde famílias têm a oportunidade de superar a situação de vulnerabilidade a partir do trabalho, da produção e comercialização dos seus produtos”, afirmou o governador.



quarta-feira, 3 de agosto de 2016

COOAFARN e COOPAPI recebem visita da superintendência do Banco do Brasil em suas agroindústrias.

Na manhã do dia 03/08 as agroindústrias da COOAFARN e COOPAPI receberam a visita da superintendência do Banco do Brasil  e da agencia local, os representantes do referido banco vieram conhecer as ações da Fundação Banco do Brasil e outros parceiros junto a Agricultura Familiar do município de Apodi, os técnicos foram recepcionados pela diretora tesoureira da COOAFARN Fátima Tôrres, pelo vice presidente da COOPAPI Reginaldo Câmara e pelo Assessor de Gestão Social do Território Sertão do Apodi Clébson Lima, em pauta  a visita ao escritório da COOPAPI, visita a construção do entreposto de mel, unidade de polpa de frutas e central de processamento e embalagem de amêndoa de castanha, também foi oportunidade para conversar sobre crédito para Agricultura Familiar, principalmente para as cooperativas que irão concorrer ao edital para aquisição de Box na central de comercialização em Natal, o gerente de mercado Fernando Luiz que é da superintendência de negócios e varejo do Banco do Brasil ressaltou que estava impressionado com a organização da Agricultura Familiar de Apodi e com a estrutura das agroindústrias e no final se colocou a disposição para parcerias.


terça-feira, 2 de agosto de 2016

A COOAFARN participa do Lançamento do edital de ocupação da Central da Agricultura Familiar em Natal.





Este 1º de agosto foi um dia histórico para à agricultura familiar do Estado do Rio Grande do Norte, depois de aproximadamente 10 anos de espera hoje o Governador Robinson Faria anunciou a conclusão da recuperação de toda a infraestrutura física da Central de Comercialização da Agricultura Familiar e Economia Solidária (CECAFES), que tinha sido totalmente depredada, bem como, a assinatura do Edital para Seleção dos Permissionários que se instalarão na Central para comercializar seus produtos por meio das suas cooperativas ou associações da agricultura familiar potiguar. Um aspecto importante desta trajetória a destacar foi que a construção do presente edital teve a participação efetiva dos membros Comitê Gestor da CECAFES, tendo a participação de órgãos do Estado e da Sociedade Civil.
A agricultura familiar é uma forma de produção em que predomina a interação entres gestão e trabalho. São os agricultores familiares que dirigem o processo produtivo, dando ênfase na diversificação e utilizando o trabalho familiar que eventualmente é complementado pelo trabalho assalariado.

Mais de 70% dos alimentos vem da agricultura familiar, exercendo assim papel fundamental na erradicação da fome e pobreza, contribuindo com a segurança alimentar e nutricional, além de um modelo de produção de respeito e conservação da natureza, equilibrando a relação entre homem e meio ambiente.
No tocante a geração de emprego é salutar destacar que a agricultura familiar gera mais de 80% da ocupação no setor rural e responde no Brasil por 7 em cada 10 empregos e por 40% da produção agrícola. Com 84% do total de estabelecimentos em apenas 24,3% de área, tem impacto na produção representando 34% do Valor Bruto da Produção.
Importante destacar que no Rio Grande do Norte existe aproximadamente 83 mil estabelecimentos agropecuários (Censo Agropecuário-2006), ocupando em torno de 3,2 milhões de hectares de terras. Mais de 71 mil, ou seja, 86% são estabelecimentos da agricultura familiar que ocupam 1,046 milhão de de hectares. Outro informação relevante refere-se ao tamanho médio das propriedades da agricultura familiar que é de 14,64 hectares.
No contexto da produção agrícola a agricultura familiar se destaca, mesmo em um quadro adverso de seca na produção de alimentos em nosso estado: 90% do arroz, 86% de feijão, 83% do milho, 61% da mandioca, 75% do plantel de suínos, 64% do leite caprino, 45% do leite bovino e 48% do plantel de bovinos.
Raimundo Costa
Secretário de Estado - SEARA-RN

sexta-feira, 29 de julho de 2016

Cooperativa Central da Agricultura Familiar do RN (COOAFARN) participa da gestão da CECAF junto ao governo do Estado do RN.

Governo lança edital para ocupação da Central de Agricultura Familiar - CECAF
O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Agricultura, Pecuária e Pesca, lançará nesta segunda-feira (1º), às 10h, o edital de seleção das cooperativas, associações e organizações de agricultores familiares que irão ocupar a Central de Comercialização da Agricultura Familiar em Natal, prevista para entrar em operação nos próximos 30 dias.
A solenidade acontece no auditório da Governadoria e contará com a presença do governador Robinson Faria e secretário de Agricultura Guilherme Saldanha.

Os selecionados irão ocupar 32 boxes, uma lanchonete e 50 pedras para comercialização de produtos agropecuários, hortifrutigranjeiros, cereais, pescado, entre outros. “A Central é uma grande conquista para a agricultura familiar do Rio Grande do Norte, pois os produtores terão um lugar próprio para comercializar seus produtos, eliminando a figura do atravessador e garantindo um preço mais acessível ao consumidor final”, destaca Saldanha.

A expectativa é que a Central beneficie em torno de 1.200 agricultores familiares e comercialize uma média de R$ 313 mil por mês, com a venda de 170 toneladas de itens. Ocupando uma área de cinco mil metros quadrados ao lado da Ceasa/RN, o equipamento possui área construída de 2,7 mil metros quadrados e 78 vagas de estacionamento.

As obras estruturais estão passando pelos ajustes finais e, paralelamente a isso, a Emater/RN realiza licitações de equipamentos e móveis. O investimento total na compra dos itens será de R$ 1.570.000,00, sendo R$ 1.413.000,00 provenientes do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) e o restante referente à contrapartida do Governo do Estado. Já a reforma e recuperação da estrutura da Central estão orçadas em pouco mais de R$ 616 mil.

Saiba mais

Fruto de uma parceria do Executivo estadual com o Ministério do Desenvolvimento Agrário, a Central foi inaugurada em 2010 sem estar pronta para uso e nunca chegou de fato a funcionar. Em 2015, o Governo do Estado por meio da Sape concluiu a construção de uma caixa d'água, sistema que faltava para que o equipamento conseguisse autorização do Corpo de Bombeiros para operar.
No entanto, com o desgaste e a depredação proporcionada pelos vândalos ao longo dos últimos anos, foi necessário reconstruir parte da estrutura, reformar e instalar novamente fiação elétrica e equipamentos hidráulicos.

sexta-feira, 27 de maio de 2016

Parceria fortalece cadeia produtiva do mel no Rio Grande do Norte

Cooperativas receberam investimento social da Fundação BB de R$ 2,5 milhões em dez projetos
 
Por Dalva de Oliveira
 
A Cadeia produtiva do mel do Rio Grande do Norte poderá contar com um entreposto de mel e cera de abelha até dezembro de 2016. O empreendimento está sendo construído no município de Apodi (RN), distante 335 km de Natal.
 
As obras vão custar R$ 450 mil, resultado da parceria entre a Fundação BB e a Cooperativa Potiguar de Apicultura e Desenvolvimento Rural Sustentável (Coopapi). A administração do empreendimento será feita pela Coopapi, juntamente com a Cooperativa Central da Agricultura Familiar do Estado do Rio Grande do Norte – Cooafarn e vai atender 650 famílias de agricultores familiares participantes da cajucultura e de outros projetos realizados em parceira com a Fundação BB. 
http://www.fbb.org.br/data/files/08/A6/5E/3A/7B3C45101E8EB94519A809C2/img_mel%203%20_3__md.jpg
 
A Coopapi é responsável por 25% de todo o mel produzido no estado do Rio Grande do Norte. De acordo com a diretora financeira da Cooafarn e sócio-fundadora da Coopapi, Fátima de Lima Torres, a instalação da agroindústria vai melhorar a infraestrutura de trabalho dos produtores e trazer benefícios para o setor, como a  permissão do registro do produto e de seus derivados junto aos órgãos de controle, a oportunidade de exportação para o mercado europeu e o aumento da renda das famílias, além de  garantir a sustentabilidade da atividade apícola no estado.
 
“O trabalho com o mel é uma atividade que depende muito das chuvas. Quando a safra é boa, a produção dá um salto e tem família que consegue tirar 5 toneladas do produto por ano, que são vendidos a R$  8,00, além do que é arrecadado com outras atividades”, disse.  A diretora conta ainda que hoje eles têm um contrato de fidelidade com a empresa alemã Walterlang Experts Honey para a venda do mel.
 
Coopapi_mel1
 
Fonte: fbb.com.br 

sexta-feira, 6 de maio de 2016

Edital de Convocação de Assembleia Geral Extraordinária da COOPAPI

COOPERATIVA POTIGUAR DE APICULTURA E DESENVOLVIMENTO RURAL SUSTENTÁVEL - COOPAPI 
Rua Sebastião Sizenando, 263, Centro, Apodi –RN CEP: 59700-000 CNPJ: 06.881.068/0001-03 
E-mail: coopapirn@hotmail.com 
www.coopapi.blogspot.com Tel: (84) 3333-9582 

EDITAL DE CONVOCAÇÃO DE ASSEMBLÉIA GERAL EXTRAORDINÁRIA. 

Pelo presente Edital, ficam convocados, nos termos da Legislação Vigente e dos Estatutos Sociais desta entidade, todos os cooperados quites e no gozo de seus direitos sociais, para participarem de uma ASSEMBLÉIA GERAL EXTRAORDINÁRIA, que, realizar-se-á, em primeira convocação, às 08:00 horas, do dia 18 do mês de maio de 2016, na sede desta cooperativa, sito a Rua Sebastião Sizenando, 263, Centro, /Apodi / RN. Consoante determinação estatutária caso não seja atingido o número legal para instalação em primeira convocação, será realizada Assembléia em segunda convocação uma (1) hora após a primeira com a presença mínima de 50 (cinqüenta por cento) mais um dos cooperados e em terceira (3ª) e última convocação uma (1) hora após a segunda (2ª) com a presença mínima de dez (10) cooperados, todas no mesmo local e dia, objetivando discutir a seguinte ordem do dia: 

1º) - Prestação de Contas exercício 2014; 
2) – Informes sobre os projetos da COOPAPI; 
3) - Outros assuntos do interesse da categoria. 

Apodi/RN, 06 de Maio de 2016.

Francisco Marto de Lima Souza
Presidente

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016

Evento Estadual da Cajucultura



A COOAFARN e o Comitê da Cajucultura  vem reforçar esse convite para os organizações da Agricultura Familiar que atuam no setor do caju para contribuir nas proposições. 

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

Reforma da Central de Agricultura Familiar começa no dia 15 Fevereiro de 2016




As obras de reforma e recuperação da Central de Comercialização da Agricultura Familiar em Natal começam na próxima segunda-feira (15). A informação foi confirmada pelo diretor-presidente da CLN Locações e Serviços Ltda, Washington Nelo, ao secretário de Agricultura, Pecuária e Pesca Haroldo Abuana, na sexta-feira (5). Vencedora da licitação elaborada pela Sape em parceria com o RN Sustentável, a construtora assinou o contrato esta semana e tem 90 dias para entregar a Central estruturalmente recuperada.
A primeira etapa da obra deve começar com a limpeza do prédio e retirada do entulho que se acumulou ao longo do tempo. A reparação da instalação elétrica e hidráulica vem em seguida, para depois se reconstituir a cobertura, recolocar os vidros e fazer a pintura do edifício. Toda a reforma e recuperação da estrutura da Central está orçada em pouco mais de R$ 616 mil. Outras licitações para aquisição de móveis, utensílios e equipamentos estão sendo realizadas pela Emater/RN.
“Damos um passo importante para devolver a Central aos agricultores familiares, que poderão comercializar seus produtos sem a presença dos atravessadores, agregando ainda mais valor àquilo que produzem”, destaca o secretário Haroldo Abuana. A estimativa é que o prédio esteja pronto para uso até o fim do primeiro semestre. Com isso, o Governo do Estado acaba com uma espera de seis anos dos agricultores.
Fruto de uma parceria do Executivo estadual com o Ministério do Desenvolvimento Agrário, a Central foi inaugurada em 2010 sem estar pronta para uso e nunca chegou de fato a funcionar. Em 2015, o Governo do Estado por meio da Sape concluiu a construção de uma caixa d'água, sistema que faltava para que o equipamento conseguisse autorização do Corpo de Bombeiros para operar. No entanto, com o desgaste e a depredação proporcionada pelos vândalos ao longo dos últimos anos, será necessário reconstruir parte da estrutura, reformar e instalar novamente fiação elétrica e equipamentos hidráulicos.
De acordo com um estudo de viabilidade econômica elaborado pelo RN Sustentável, a Central de Comercialização irá beneficiar mais de 1.200 agricultores, que terão 35 boxes para vender seus produtos. A estimativa é que, quando estiver em pleno funcionamento, a Central comercialize uma média de R$ 313 mil por mês, com a venda de 170 toneladas de itens. Ocupando uma área de cinco mil metros quadrados ao lado da Ceasa/RN, o equipamento possui área construída de 2,7 mil metros quadrados e 78 vagas de estacionamento.
Fonte: Assecom Sape/RN

Governo do Estado paga quinzenas em atraso do Programa Leite Potiguar

ASSECOM/EMATER
O Governo do Estado do Rio Grande do Norte, através da Secretaria Estadual de Planejamento e Finanças, realizou o pagamento de duas das três quinzenas em atraso do Programa Leite Potiguar. O débito soma R$ 6.055.129,80 milhões e foram pagos R$ 4.048.162 milhões, referentes à segunda quinzena de novembro e a primeira de dezembro de 2015. A segunda quinzena de dezembro será quitada nas próximas semanas. A Emater-RN é a responsável pelo repasse dos recursos aos produtores e laticínios.
O atraso no pagamento junto aos fornecedores ocorreu em virtude da frustração de receita de recursos federais e estaduais desde o ano passado. A quitação dos débitos reafirma o compromisso do Governo do Estado em manter em dia as contas do Programa Leite Potiguar, apesar da crise econômica.
O Programa Leite Potiguar recebeu, do Governo do Estado, investimentos da ordem de R$ 53.221.026,60 milhões, em 2015, e contribui para suprir as necessidades nutricionais da população de baixa renda do Rio Grande do Norte. O programa movimentará na economia local aproximadamente R$ 50 milhões durante 2016, recursos esses que saem do tesouro estadual.