terça-feira, 30 de agosto de 2016

Budega Terra Firme da COOPAPI participa do IV Intercâmbio entre Pontos Fixos da Rede Brasileira de Comercialização Solidária em Serrinha - BA.

Nos dias 19 e 20 de agosto, aconteceu na cidade de Serrinha (BA) o IV Intercâmbio entre Pontos Fixos da Rede Brasileira de Comercialização Solidária. O projeto da Rede ComSol, executado pelo Instituto Marista de Solidariedade (IMS) é realizado por todo o país com o objetivo de trocar experiências e conhecimentos entre representantes de empreendimentos que fazem parte da Economia Solidária, debatendo os desafios enfrentados por cada um e ampliando a integração em rede.
O evento contou com participantes de 10 estados, cerca de 20 pessoas representando lojas e feiras da agricultura familiar. O local escolhido para o intercâmbio foi o Armazém da Agricultura Familiar e Economia Solidária, que faz parte da gestão do Arco Sertão Central, um ponto fixo que serve de modelo para os outros empreendimentos, devido a sua organização no acesso aos mercados institucionais e suas diversas estratégias de comercialização. O Armazém é uma iniciativa da organização dos Empreendimentos Econômicos Solidários (EES) e da agricultura familiar, que articulados em rede, visam viabilizar a comercialização dos produtos locais.
O Superintendente de Economia Solidária do Governo da Bahia, Milton Barbosa, esteve presente na abertura do intercâmbio e dialogou com o grupo sobre como foi a construção das políticas públicas para que a economia solidária crescesse no Estado. “Começamos a luta em 2007, a partir da Secretaria Nacional de Economia Solidária (Senaes), com o objetivo de fazer desse modelo econômico um fator de desenvolvimento dentro do território baiano”, afirmou Barbosa.  O superintendente ainda disse que é imprescindível o apoio a produção de pequenos proprietários familiares e que está trabalhando para levar a economia solidária aonde ainda não existe. “Nossas principais ações são as criações de políticas públicas para o eixo, programas de crédito, assistência técnica e lançamentos de editais – em especial para empreendimentos para mulheres e descendentes de africanos”, completou.
A assessora do Arco Sertão Central, Gisleide Oliveira, apresentou o local – explicando como funciona, sua organização, conquistas e produções. Gisleide é uma das principais articuladoras de EES e afirmou que possui um sentimento de luta e conquista. “O Arco Sertão articula mais de 67 empreendimentos, sendo cooperativas e associações, e isso é a realização de um modelo que ainda será implantado em outros territórios”, declarou.
Outra presença importante no evento foi do Governador da Bahia, Rui Costa. Ele esteve no local para inaugurar o Centro Público de Economia Solidária do Armazém Arco Sertão Central. O armazém é um dos 186 empreendimentos assessorados pelo Projeto Rede ComSol, do Instituto Marista de Solidariedade (IMS).
O governador discursou para a equipe do Arco Sertão sobre a importância do fortalecimento da comercialização dos produtos produzidos pelos grupos que fazem parte da Economia Solidária. Costa ressaltou o mérito de todos que se somam ao poder público para montar uma rede de apoio e solidariedade econômica. “Respeito a relevância das entidades de apoio e fomento e das cooperativas que se esforçam para apoiar a agricultura, principalmente a familiar, onde famílias têm a oportunidade de superar a situação de vulnerabilidade a partir do trabalho, da produção e comercialização dos seus produtos”, afirmou o governador.