quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

ISSO É EXEMPLO DE DINAMISMO.


Um programa que incentiva a irrigação noturna está ajudando a diminuir os custos nas lavouras do Paraná. Quem participa do projeto, coordenado pela Emater, pode economizar até 70% na conta de luz se usar a energia entre as 21hs e às 6hs.

O agricultor Mário Otremba é produtor rural há mais de 20 anos. Há quatro meses resolveu investir na irrigação noturna. Antes, ele precisava molhar a horta duas vezes por dia. Mas, por causa do sol forte, boa parte das cebolinhas estragava. Agora, a irrigação é feita à noite e só uma vez.

“As plantas também estão gostando porque irriga à noite. A produção já melhorou bastante”, avaliou seu Mário.

O programa de irrigação noturna atende sete produtores rurais de Foz do Iguaçu. Quem já adotou o sistema tem resultados positivos não só na produção, mas também na economia de energia.

O seu Mário instalou um novo relógio para medir a quantidade de energia gasta com a irrigação. A água é de poço artesiano. Para chegar até a horta também foi necessário instalar uma bomba geradora. O investimento foi de R$ 1,2 mil, mas que já trouxe uma economia mensal de R$ 190,00 na conta de luz.

“Essa economia eu posso investir numa adubação melhor ou na própria irrigação. Se há uma opção de economia, tem mais que partir para ela”, falou seu Mário.

É na visita semanal dos agrônomos que são passadas as orientações e assistência técnica aos produtores. “A gente atende os produtores primeiramente nos escritório. Depois, a gente visita as propriedades e faz o projeto para apresentar para a Copel, onde eles são atendidos”, explicou Lúcia de Freitas, agrônoma da Emater.

Segundo a Copel, Companhia Paranaense de Energia, trezentas propriedades já aderiram ao programa no oeste e no sudoeste do Estado.

Um comentário:

Francisco Joseraldo disse...

COMPANHEIROS da COOPAPI em Apodi tem alguns propriedades com a Tarifa verde onde usa um medidor que marca o consumo das 21 hs às 6 hs da manhã.
Para Instalar o modelo de cobrança tem que procurar a COSERN que informa as normas e o custo do medidor.